Renault-Nissan cria fundo de US$ 200 milhões para comprar startups ligadas a questões de mobilidade

Carlos Ghosn, diretor-executivo da Renault-Nissan. Foto: Philippe Wojazer/Reuters

PARIS – A aliança Renault-Nissan-Mitsubishi está captando 200 milhões de dólares num novo fundo de tecnologia da mobilidade, disseram três fontes, no mais recente movimento de grandes montadoras para se adaptar à mudança rápida da indústria, investindo em startups através de seus próprios braços de capital de risco.

O fundo, que será apresentado pelo executivo-chefe, Carlos Ghosn, em Las Vegas nesta terça-feira (09/01/18), será 40% financiado pela Renault, 40% pela Nissan e 20% pela Mitsubishi.

“Isso nos permitirá avançar mais rápido que nossos rivais em aquisições”, disse uma das fontes da aliança à Reuters.

Frederique Le Greves, porta-voz da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, recusou-se a comentar.

O modelo tradicional da indústria automotiva baseado no propriedade individual está ameaçada por serviços que cobram pelo uso, como Uber, bem como por plataformas de transporte e compartilhamento de carros, desafio ampliado por mudanças concomitantes em direção aos carros elétricos e autônomos.

Os fabricantes de automóveis estão lutando para lidar com as mudanças e as tecnologias que alguns de seus executivos estão apenas começando a dominar. Para acelerar o processo, muitos investem diretamente em novos serviços — e assim ganham acesso à propriedade intelectual — através de seus próprios fundos corporativos de capital de risco.

O Globo